sábado, 17 de maio de 2008

Heróis e vítimas

Em algum dia os pais resolvem deixar o papel de heróis invencíveis aos olhos de seus filhos e transformam-se em candidatos à vítimas, pedido desesperadamente nossa pena.
Pena, um sentimento que abomino, pois ele não traz nada de construtivo, apenas um olhar triste do observador e talvez um comentário inútil de: "Coitadinho!". Sou muito mais simpático ao sentimento compaixão, que é uma atitude que nos faz construir algo e nos movimentar para ajudar quem precisa e não simplesmente sentir pena por quem está passando por uma situação difícil ou desesperadora. Só existe uma coisa pior que pena pelos outros e é a pena de si próprio, sentimento muito em alta nos dias de hoje. Não se procura mais a compreensão e uma ajuda para transformar as adversidades em aprendizado, mas em uma piscina em que se nada e eternamente esperando que algum dia alguém jogue uma bóia para nos salvar.
O dinheiro que falta para boa parte da população brasileira nos dias de hoje não é desculpa para parar de funcionar e cair em um estado de auto-comiseração onde tudo que importa é a reclamação inútil e não produtiva. O mundo é feito de ações e suas respectivas conseqüências, então parem com o choro de pena e ajam contra qualquer que seja o mal que os assola neste momento. NADA é impossível, somente mais ou menos difícil exigindo uma mente mais concentrada e forte para construir a escada que nos leva à elevação e ao sorriso que nunca deveria sumir de nossos rostos.

Um comentário:

roger holanda disse...

Com certeza e apoiado. Tem dias que me sinto assim. Parece que penalizar-se por sí resolve qualquer coisa e só atrapalha. Graças que logo respondo e saio dessa inércia para o movimento para a frente.
Gde Abraço, querido. Obrigado por ter colocado meu blog aqui também e boa semana!