segunda-feira, 23 de março de 2009

O Radiohead passou por ali

Foto do Silvio Tanaka

Não fui ao show do Radiohead, nem no Rio de Janeiro nem em São Paulo e neste momento começo a ler relatos de pessoas que foram e dizem que foi um momento inesquecível, perfeito e histórico. Fico um pouco triste por não estar presente, mas como todas as bandas históricas de minha vida eles têm um show que frequento todos os dias em meu subconsciente.

As músicas são aquelas que tocam minha alma, me carregam até o alto da alegria perfeita e me derrubam no chão para sentir o gosto do prazer ainda em meus lábios. De todas as bandas que moldaram meu caráter e minha personalidade o Radiohead teve um papel fortíssimo em me manter na linha torta da vida (pois a linha reta não existe). Thom Yorke com suas confissões sempre foi um confidente e parceiro de desgraças e alegrias. Sua voz consegue me arrepiar todas as vezes que ouço o começo de diversas de suas músicas.

Ainda lembro no final de minha adolescência, (ou seria o meio dela?) escutar Radiohead pela primeira vez e sentir um abraço quente e terno em minha alma de alguém que consegue compreender minhas dores e fazer delas curas. Após ouvir tal voz angelical contando os mais íntimos segredos fui procurar a imagem de tal voz e vi um rosto distorcido, um olho caído e aquilo fez gostar deles ainda mais. O belo saindo do feio, a dor criando a beleza, a dificuldade cria o homem. O ciclo completo em uma só pessoa e uma banda que serve de complemento ao todo.

Eles estiveram no país onde moro, em cidades relativamente próximas, mas longe demais para o meu bolso neste momento. Não quis ver eles no Multishow pois sabia que este canal os cortaria completamente… dito e feito, povão detonando nos comentários do próprio site do canal por terem passado apenas um pedaço do show e cortado para o Big Brother. Neste momento estava dormindo tranquilamente e sonhando com coisas que não fazem sentido.

Espero honestamente que o Radiohead continue a existir, para que no dia em que puder vê-los eles façam o show inesquecível e perfeito que fazem em minha mente, agora para os outros sentidos de meu corpo. Estarei lá, na terceira fila, porque na primeira e segunda só ficam as pessoas que gostam de serem esmagadas.

SETLIST

15 Step
There There
The National Anthem
All I Need
Pyramid Song
Karma Police
Nude
Weird Fishes/Arpeggi
The Gloaming
Talk Show Host
Optimistic
Faust Arp
Jigsaw Falling Into Place
Idioteque
Climbing Up The Walls
Exit Music (For A Film)
Bodysnatchers
Videotape
Paranoid Android
Fake Plastic Trees
Lucky
Reckoner
House of Cards
You and Whose Army
Everything In Its Right Place
Creep

Um comentário:

Dani disse...

Saudade desse cantinho.